Como Se Tornar O Pior Aluno da Escola | Crítica

Com narrativa apelativa, filme de Danilo Gentili é descartável.


Carlos Villagrán
Reprodução / Warner Bros.

Todos nós sabemos o quão Danilo Gentili adora uma polêmica. O humorista, que atualmente apresenta um talk-show no SBT, fez questão de manter o seu humor “peculiar”, que em diversos momentos beiram o mau gosto, em seu novo filme Como Se Tornar O Pior Aluno da Escola.

Baseado em seu livro homônimo, a comédia dirigida por Fabrício Brittar (que já trabalhou com Gentilli em Politicamente Incorreto) narra a trajetória de Pedro (Daniel Pimentel) e Bernardo (Bruno Munhoz), que encontram-se divididos entre as obrigações escolares e a falta de propósito de cumprirem todas as normas de uma rígida escola. As regras cada vez mais politicamente incorretas são ditadas pelo hipócrita Ademar (Carlos Villagrán). Num determinado momento, Pedro encontra um caderno – ou um verdadeiro manual – repleto de lições do Pior Aluno (Danilo Gentili). Os dois amigo decidem encontrar este “gênio” para que o ajudem a tirar melhores notas sendo piores alunos da escola – contraditório, não é mesmo?

Danilo Gentili
Reprodução / Warner Bros.

Antes de mais nada, preciso ressaltar a atuação dos atores mirins Daniel e Bruno. Eles conseguem mergulhar nos personagem com naturalidade. Isso nos aproxima dos personagens e acabamos nos envolvendo com seus dilemas. O humorista Moacyr Franco é genial no papel do faxineiro, conseguindo arrancar gargalhadas mesmo quando não fala nada. Alguém que ganhou um destaque maior do que achei que teria foi Villagrán. Apesar de seu sotaque carregadíssimo, o mexicano atua bem e traz em diversos momentos menções ao seu consagrado personagem Quico, do seriado Chaves.

Carlos Villagrán
Reprodução / Warner Bros.

Danilo Gentili, por sua vez, nada mais é do que sua própria persona da qual já estamos acostumados assistir. Não há esforços, muito menos preocupação de interpretar algo diferente. Em determinados momentos até parece que o ator utilizou o filme para contar trechos de sua própria história, trazendo a mensagem que se você não ri das piadas que fazem contigo é porque você não é inteligente o suficiente para rir de si mesmo. Mesmo que isso reforce preconceitos.

A direção é frenética e repleta de cortes desnecessários e outros extremamente necessários, como a cena na qual o personagem de Fábio Porchat pede para uma das crianças o masturbar em troca de informação. A pedofilia aqui é motivo de piada. Tudo é motivo para piada, o que isso não é bom. Pois a necessidade de criar situações engraçadas acaba retirando a naturalidade de desenvolvimento da trama.

Como Se Tornar O Pior Aluno da Escola é um filme descartável, grotesco que beira o mau-gosto. Isso deve-se ao seu roteiro deplorável escrito pelo próprio Danilo e por André Catarinacho. Em épocas de combate ao bullying, o filme induz à prática. Escatológico, recheado de piadas bobas e geralmente ligadas a gordofobia, o filme parece não ter limites de bom senso. Lamentável ver que ainda temos espaços para um filme como este.

Com ajuda do Review

O que você achou disso?

Chorei Chorei
0
Chorei
OMG OMG
1
OMG
Fail Fail
7
Fail
Amei Amei
1
Amei
Medo Medo
2
Medo
QUE?? QUE??
0
QUE??
Egnaldo Júnior

Colunista, escritor, blogueiro, humorista e radialista. Técnico em Segurança do Trabalho, Jornalista em formação. Amante da televisão, das séries, tecnologias e redes sociais. Adora comédia romântica e filmes de terror/horror. #Paz

Como Se Tornar O Pior Aluno da Escola | Crítica