Os Parças | Crítica 2


Os Parças
Divulgação

Os Parças, longa-metragem dirigido pelo diretor cearense Halder Gomes, que já conta em seu currículo com sucessos como Cine Holliúdy e O Shaolin do Sertãopretende falar sobre amizade e a luta das pessoas por sobrevivência. Mesmo que isso signifique manter diversos golpes, dito até por um dos personagens como “legalizados”.

A sequência inicial já mostra o ritmo que o espectador encontrará a seguir, repleto de correria, gritarias e situações absurdas. O filme propõe te fazer rir e, para isso, utilizará de todos os limites de seu elenco com nomes de peso do elenco nacional: Tom Cavalcante, mestre das interpretações, Whindersson Nunes, rei do YouTube, Tirulipa, que herdou a comicidade de seu pai Tiririca, e até o inexpressivo Bruno de Luca. Não consigo imaginar nenhum motivo de sua escalação exceto a amizade com membros do elenco.

A trama conta a história de um locutor de loja de varejo, dois trambiqueiros e um técnico de informática que são obrigados a participar de um golpe: montar uma firma de casamento para produzir a festa da filha do maior contrabandista da famosa Rua 25 de Março, em São Paulo. Sem dinheiro, os quatro forjam, no meio do comércio de rua, um casório de luxo.

Os Parças
Divulgação

 

O multifacetado Tom Cavalcante tem seu talento extremamente explorado no filme, fazendo personagens que muito relembram seus tempos áureos no Show do Tom, seu extinto programa da Record TV. Seus momentos em tela são impagáveis, arrancando gargalhadas do público. Tanto em suas imitações, como na icônica cena interpretando o cantor Fábio Júnior, quanto nas suas palavras. Mesmo que em alguns momentos apelem pra escrotice.

Whindersson Nunes é uma das figuras mais populares da internet. Em cena ele representa o mesmo humor que o consagrou. Divertido, ele se saiu muito bem para seu primeiro filme. Tirulipa é outro que nos contagia com suas caras e bocas. Com o humor herdado do pai, ele e Whindersson fazem uma dupla perfeita, repleta de humor pastelão e caricato. Quem é fã da dupla ou já conhece o trabalho sabe ao certo o que vai encontrar.

Quem destoa do elenco principal é Bruno de Luca. Interpretando um nerd apaixonado, ele serve apenas para criar um arco romântico com Paloma Bernadi, a noiva. Ainda é possível conferir nomes como Oscar Magrini, Taumaturgo Ferreira e participações especiais como a de Carlos Alberto de Nóbrega, Wesley Safadão e até mesmo Neymar. Podemos dizer que o elenco foi bem escolhido e parecem muito entrosados.

Apesar de cômico, em determinado momento Os Parças retrata o drama. Numa única cena, muito bem escrita por sinal, ele nos faz refletir sobre as já conhecidas histórias de nordestinos que vão para São Paulo tentar uma vida melhor. O próprio elenco afirma que foi a cena mais difícil de ser produzida. Afinal, para essa trupe fazer rir é fácil, mas fazer chorar é algo que exige um esforço muito maior.

A trilha sonora do filme é compatível com o que se propõe em tela. É importante que o telespectador saiba que não verá um filme preocupado com termos estéticos do cinema, mas que está disposto a fazer o espectador gargalhar. Estamos num ótimo momento do cinema nacional, com filmes mais trabalhados e visando comércio internacional. Ele, no entanto, não cumpre esse papel. Os Parças é a programação perfeita para desestressar das preocupações cotidianas.

Com ajuda do Review

O que você achou disso?

Chorei Chorei
0
Chorei
OMG OMG
0
OMG
Fail Fail
0
Fail
Amei Amei
3
Amei
Medo Medo
0
Medo
QUE?? QUE??
1
QUE??
Egnaldo Júnior

Colunista, escritor, blogueiro, humorista e radialista. Técnico em Segurança do Trabalho, Jornalista em formação. Amante da televisão, das séries, tecnologias e redes sociais. Adora comédia romântica e filmes de terror/horror. #Paz

Os Parças | Crítica 2