Crítica | Pica Pau: O Filme


O infame pássaro chega às telonas em longa divertido, simples e inocente

Está programado para chegar às salas nacionais, no próximo dia 05 de outubro, o passarinho mais hiperativo da TV, no novo Pica Pau: O Flme. Dirigido por Alex Zamm (de Inspetor Bugiganga 2), que também assina o roteiro em parceria com William Robertson, a nova aventura do pássaro de cabeça vermelha promete ser uma boa dose de nostalgia aos mais velhos e diversão garantida ao público infantil.

 

Tudo tem início quando Lance Walters (Timothy Omundson), um ambicioso advogado e sua irritante namorada Vanessa (Thalia Ayala), decidem construir uma enorme casa numa área florestal em frente a um rio.  Ao chegarem na localidade, acompanhados do filho menosprezado de Walters, Tommy Walters (Graham Verchere) o trio imediatamente entra em contato com o pior pesadelo do casal e futuro melhor amigo do jovem: o Pica Pau.

Divulgação

A partir desse momento, o solitário Tommy rapidamente conquista o pássaro que por outro lado utiliza-se de todos seus recursos para espantar a construção que o perturba. Adicionalmente, a floresta ainda é explorada ilegalmente pela dupla Nate e Ottis Grimes (Scott McNeil e Adrian Glynn McMorram, respectivamente) que estão na mira da policial Samantha Bartlett (Jordana Largy).

Com personagens interligados e uma premissa bastante simples, o longa infantil segue no melhor estilo sessão da tarde, por rápidos 85 minutos de duração.

A princípio, trata-se de uma obra simples e rasa, onde situações caricatas e muito, digo muito, forçadas acontecem. Porém, tudo isso com um propósito; divertir o público infantil. É importante frisar que não é um filme live action apenas, mas sim uma produção para crianças. Dessa forma, não espere por reviravoltas ou piadas capciosas ou qualquer naturalidade vinda da tela, não é a proposta aqui.

Divulgação

Mesmo assim, o roteiro coloca de leve algum conflito nos personagens. Lance é um ambicioso advogado que claramente não liga para o meio ambiente… nem nada além de sua fútil e irritante namorada Vanessa. A relação de ausência que tem com o filho é uma realidade presente em muitas famílias e, apesar de não compreendido pelos mais jovens, a mensagem aos pais é dada de forma clara.

Tommy, filho de Lance, é muito solitário mas consegue algumas amizades, além da do Pica Pau. Por tocar guitarra, acaba conhecendo a dupla Samantha Barlett (Jordana Lagrgy) e John (Ty Consigilo) que desejam formar uma banda e se apresentar no Festival dos Vagalumes, organizado na cidadezinha. É amizade instantânea. Porém, o roteiro cai nos típicos clichês de jovens que tocam instrumentos e têm uma banda onde tudo é perfeito. Isso compõe a caricatura dos personagens.

Os caçadores de recompensa Nate e Ottis são igualmente exagerados e aparentam estarem sujos a todo momento, com dentes podres e um ar caipira exagerado, e claro, como bons vilões, são desajeitados e irônicos a todo momento. Mais uma vez, tal performance é típica de filmes do gênero, não necessariamente culpa dos atores.

Divulgação

E por falar em ator, o personagem central de toda trama é o famoso Pica Pau, dublado por Eric Bauza na versão original. O pássaro é representado em animação CGI que interage com os atores de carne e osso. Mesmo com o melhor dos esforços, a ave não aparenta naturalidade na animação e o público mais exigente ficará desapontado com o resultado, entretanto, como mencionado anteriormente, esse não é um longa para ser saboreado com olhares críticos, mas sim uma produção voltada às crianças, que sim, ficarão muito satisfeitas após a sessão.

A maior parte da estória desenrola-se em um cenário rodeado por árvores, e a fotografia faz um bom trabalho em retratar toda natureza ao redor dos personagens. A mixagem de som também faz bonito, o espectador é inserido nesse ambiente cercado por sons de mosquitos, grilos e balançar das folhas.

No mais, estamos diante de um filme infantil. É inocente, desprovido de violência e situações complexas. Temos personagens caricatos em excesso e um protagonista computadorizado que não convence, mas diverte. Um longa que cumpre exatamente o prometido nas amostras publicadas na internet. É diversão garantida para os pequenos, mas talvez o mesmo não seja verdadeiro para os pais.

Com ajuda do Review

O que você achou disso?

Chorei Chorei
0
Chorei
OMG OMG
1
OMG
Fail Fail
1
Fail
Amei Amei
0
Amei
Medo Medo
0
Medo
QUE?? QUE??
0
QUE??
Thiago

Professor de inglês e Advogado. Apaixonado por música, filme e pizza!

Crítica | Pica Pau: O Filme