Crítica | A Estrela de Belém


Clima natalino é traduzido em animação cristã sobre o nascimento de Jesus.

A medida que o fim de ano se aproxima, os lançamentos do cinema incorporam o clima natalino e mergulham na temática. A Estrela De Belém (The Star) é uma animação religiosa, assinada pelo diretor Timothy Reckart, com seu primeiro trabalho em longa-metragem. A produção tem data de estreia no Brasil marcada para o dia 30 de novembro e promete agradar tanto jovens quanto adultos.

A premissa é bastante simples e conhecida, porém, o approach é diferente do tradicional e muito mais acessível e interessante aos jovens.

Divulgação

A história do nascimento de Jesus é disseminada na cultura independente de orientações religiosas. Na presente obra, o espectador segue o burrinho Bo que sonha em libertar-se do moinho em que trabalha. Certo dia, com ajuda do seu amigo pássaro Davi, consegue escapar de seu dominador e acidentalmente encontra uma jovem grávida chamada Maria e seu noivo José. Ao longo da jornada, a carismática ovelha Ruth e os camelos Herod, Thaddeus e Rufus – que transportam os três reis– unem-se para proteger o casal do carrasco enviado pelo rei, para assassinar o bebê que está para nascer.

A grande dúvida que surge ao frequentador é se a referida animação transitará muito pelo tema religioso. Felizmente, os produtores nos entregam uma narrativa muito equilibrada. Vale destacar que este é um filme cristão, mas que tem todos os elementos necessários para conquistar a todos os curiosos com as mais variadas crenças. Tal façanha ocorre por algumas razões que serão exploradas nas linhas seguintes.

Divulgação

Primeiro, é possível notar logo de início a qualidade visual e auditiva da obra. Cores vibrantes, tons cítricos, movimentos naturais e personagens carismáticos preenchem a tela. Cada personagem é retratado com realismo e enorme empatia. A fotografia é bem trabalhada e muitas vezes assume a orientação em primeira pessoa, colocando o espectador na perspectiva dos personagens. Aliado a isso, o roteiro imprime dramas e dilemas pessoais em cada um deles, principalmente em nosso herói Bo, que deseja ser livre e viver algo grandioso.

Justamente por isso, o conto do nascimento de Jesus adquire um tom de backstory, mas sempre presente, ele apenas dá espaço para que os novos personagens – quem de fato conta a história – se desenvolvam e não sejam meros coadjuvantes, afinal, essa é uma animação sobre estes animais que vivenciam o famoso conto católico.

Divulgação

A trilha sonora e mixagem de som é realizada nos formatos DOLBY 7.1, DTS X e DOLBY ATMOS. O longa incorpora efeitos sonoros muito satisfatórios e a ambientação dos canais frontais e surround são envolventes o suficiente para colocar os espectadores dentro da ação. As músicas escolhidas para agasalhar os eventos foram escritas por Mariah Carey, juntamente com Marc Shaiman e Thom Fennessey.

As belas canções são religiosas e sempre narram o momento que é mostrado na película, sejam felizes ou tristes. Infelizmente, as composições foram mantidas no áudio original Inglês, apesar da dublagem em português, o que pode deixar certos frequentadores por fora da mensagem que é passada de forma complementar pela música.

No mais, A Estrela De Belém (The Star) é uma animação cativante e que narra um conto típico do natal. Não foca apenas no aspecto religioso e traz mensagens como superação, bondade e perdão. Apesar da natureza de sua narrativa, pode ser apreciado por público de variadas religiões, já que transita muito bem entre os dois mundos e nos entrega um longa sensato e visualmente encantador.

 

 

Com ajuda do Review

O que você achou disso?

Chorei Chorei
0
Chorei
OMG OMG
0
OMG
Fail Fail
0
Fail
Amei Amei
0
Amei
Medo Medo
0
Medo
QUE?? QUE??
0
QUE??
Thiago

Professor de inglês e Advogado. Apaixonado por música, filme e pizza!

Crítica | A Estrela de Belém