Crítica | A Autópsia


Por Thiago Schumacher

Medos cotidianos ganham vida em sala de necrotério

 

Está em cartaz em todo território nacional, o terror A Autópsia (The Autopsy of Jane Doe, Reino Unido, 2016). Estrelado por Brian Cox (Pixels) e Emilie Hirsch (Drama em Família) como a dupla Pai e Filho, respectivamente, que comandam um necrotério local em um condado nos Estados Unidos e ainda no elenco, Ophelia Lovibond (Guardiões da Galáxia). A direção é de André Overdal, conhecido pelo longa Caçador de Troll.

A premissa que envolve este eficaz título é bastante simples; Tommy (Cox) e seu filho Austin (Hirsch) são médicos legistas que realizam autópsias em um laboratório no subterrâneo da casa que há gerações abrigou outros médicos.

Tudo muda na noite em que o Xerife Burke (Michael McElhatton) leva aos nossos protagonistas o corpo de uma jovem, encontrada parcialmente enterrada no subterrâneo de uma casa onde ocorrera um massacre entre os membros da família que ali habitavam.

Aos poucos, a dupla de legistas começa a descobrir que o corpo desconhecido, apelidado de Jane Doe – expressão da língua inglesa para Zé Ninguém – guarda terríveis segredos.

Ambientado quase que completamente na série de corredores que compõe o subsolo da casa fúnebre, o diretor cria um clima claustrofóbico. Os cenários são escuros e apertados, exceto pela própria sala de autópsias. Tommy, como médico legista old school amarra sininhos aos pés dos corpos que aguardam cremação. O palco em que nos situamos, por si só, já é extremamente macabro.

O longa executa a tensão por camadas, e a cada cena, em cada descoberta acerca do passado da Zé Ninguém trazida pelo Xerife, acontecimentos inexplicáveis começam a tomar conta do local. O telespectador lentamente imerge no pesadelo que é vivido pelos protagonistas.

Sem valer-se de clichês e utilizando-se de boas técnicas cinematográficas, podemos ouvir e de fato sentir que algo se aproxima, algo maligno. O diretor brinca com medos comuns da plateia, como lugares escuros, cadáveres, rituais demoníacos e claustrofobia. É apavorante estar dentro de um quarto escuro e ouvir, de longe, o sininho preso no corpo dos cadáveres.

A Autópsia é um refresco para os amantes do gênero. No título em análise há muita exibição de vísceras e tripas, inerentes a qualquer autópsia. Entretanto, o horror permanece psicológico, na maioria das vezes. O coração palpita durante a projeção e você anseia por respostas, que por sinal, são muito bem boladas.

No mais, não trata-se de uma obra prima do medo, mas sim um filme eficaz, inteligente, bem elaborado e incrivelmente eficiente. Diversão garantida àqueles que buscam mistério envolto a bons sustos.

 

Avaliação – 95% – Excelente

O que você achou disso?

Chorei Chorei
0
Chorei
OMG OMG
0
OMG
Fail Fail
0
Fail
Amei Amei
0
Amei
Medo Medo
0
Medo
QUE?? QUE??
0
QUE??
Thiago
Professor de inglês e Advogado. Apaixonado por música, filme e pizza!

Crítica | A Autópsia

log in

Resetar senha

Back to
log in
Choose A Format
Personality quiz
Series of questions that intends to reveal something about the personality
Trivia quiz
Series of questions with right and wrong answers that intends to check knowledge
Poll
Voting to make decisions or determine opinions
Story
Formatted Text with Embeds and Visuals
List
The Classic Internet Listicles
Open List
Open List
Ranked List
Ranked List
Meme
Upload your own images to make custom memes
Video
Youtube, Vimeo or Vine Embeds
Audio
Soundcloud or Mixcloud Embeds
Image
Photo or GIF
Gif
GIF format